Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Regret (n.) - be sorry for

por Sara, em 15.12.15

Este ano dei pelo primeiro período a passar ainda mais depressa. Parece que ainda agora estava a chegar a uma escola nova, a decorar as salas onde tinha cada aula, a conhecer as pessoas, a confundir os nomes todos, a tentar causar uma boa primeira impressão aos professores. Sinto-me, sem dúvida, mais feliz. A minha turma é  espectacular, são todos super simpáticos, há um grande espírito de entreajuda, as aulas são super calmas e penso que, apesar de só terem passado 3 meses, há muita gente ali a quem já posso chamar de minha amiga. 

 

No entanto, as notas não foram, de todo, o que eu queria. Começo a pensar que apesar de todas estas melhorias, foi um erro sair do Colégio. A maioria dos meus novos professores até é boa, mas há alguns que, apesar de não serem maus, fazem testes um bocado random e com perguntas que não têm nada haver com a matéria e, ainda por cima, com cotações exorbitantes. Toda a gente me diz que é normal eu ter tido notas mais baixas a essas disciplinas e que é um período de adaptação. Mas eu sei que não é. O método deles não faz sentido. E isso não é uma questão de estudo da minha parte, pois como é que eu vou saber o que é que eles vão inventar no próximo teste?

Num suposto teste de Inglês de reading and interpretation, a professora não colocou qualquer tipo de texto para interpretar e apareciam apenas perguntas para darmos a nossa opinião sobre os refugiados, a burka e outros assuntos culturais que nunca tínhamos discutido em aula. No meio de tudo aquilo, a professora pôs uma pergunta para descrevermos o aspeto, a história e a simbologia de um fato tradicional português (pois, como se algum de nós soubesse algum) e, adivinhem quanto é que valia esta pergunta? 3 VALORES!! Com estas perguntas ela deixou de estar a avaliar a nossa capacidade de escrever em inglês e passou a avaliar os nossos conhecimentos em áreas completamente diferentes...Como é que podemos falar de algo que não sabemos?

E o professor de português, que mete a gramática a valer quase 10 valores, sem escolhas múltiplas? 

 

 

Tencionava subir um valor a cada disciplina este ano e o pior é que tenho a certeza de que, se estivesse no Colégio, estaria a conseguir. Não porque eles facilitem as notas, de todo, mas porque já conhecia o trabalho dos professores e eles nos preparam bem para  as provas específicas. Já estava habituada e já sabia o que tinha de fazer para atingir os meus objetivos. Aqui, estou apenas a manter as notas às específicas e a Português, Inglês e Filosofia, as disciplinas que me subiam a média o ano passado, estou a descer imenso devido a estas ideias malucas. 

 

Ainda para mais, com o Secundário de Música e os três meses com um maior número de concertos da minha vida, o tempo para estudar tem vindo a ser cada vez menor e preciso minimamente de saber o que vai acontecer nas avaliações, para que possa tornar o meu estudo mais eficaz. Isto não está a funcionar e há uma pinga de arrepedimento por me ter colocado nesta situação em vez de ter ficado quietinha no Colégio, onde tinha um "futuro assegurado". Parece que nunca sei tomar as decisões certas.

Conclusão: As férias vão ser passadas a estudar. yay

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:17


17 comentários

De Chic'Ana a 15.12.2015 às 11:22

Vais estudando, mas também tens de fazer uma pausa para recuperar de um período cansativo =)

De Mystic a 15.12.2015 às 11:43

Fico feliz por saber que acima de tudo conseguiste ambientar-te à escola e aos escolas, e também aos professores!
Realmente é mau os professores darem uma matéria para estudar e analisar e depois meterem outra completamente diferente nos testes, eu odiaria se isso acontecesse :|
Vais ver que vai correr tudo bem! Também tens que descansar eheh
Beijinhos

De -Hellen a 15.12.2015 às 17:35

 Sempre estudei em escolas públicas mas de cada vez que mudava de escola ou de professor era horrível, cada professor tinha métodos diferentes e havia 'métodos' que não faziam sentido nenhum ... mas vais ver que tudo há de melhorar!

De pat a 15.12.2015 às 18:38

Ao menos o teu maior medo já superaste, que era não fazeres amigos ou não conseguires adaptar-te. Vais ver que é tudo uma questão de tempo. Foram os primeiros testes, nao estas habituada, no segundo periodo vai tudo correr bem melhor.

De twilight_pr a 15.12.2015 às 19:19

Normalmente não me importo com isso, de ser 2 a 3 semanas. Se for verdadeiro acho que não faz mal nenhum, e em vários livros vê-se mesmo que é sentido. Mas claro que duas semanas comparando com 4/5 meses é mais fiel. Pronto :)
Beijinhos*

De filipa. a 15.12.2015 às 22:33

<br />obrigada pela força querida (:<br />um beijo.

De Beatriz a 16.12.2015 às 00:25

Oh god, como eu compreendo o teu dilema com esses professores e a sua metodologia. Eu ando na mesma escola secundária desde o meu 7º ano. Do 7º ao 9º não tenho nada a apontar. A partir do meu 10º ano, meu deus, não houve um único ano que eu tivesse sorte com os professores. Se eu fosse a descrever todas as situações que eu tive desse género ao longo destes três anos acho que escrevia um livro. É que da parte de alguns há mesmo falta de profissionalismo, estão ali apenas para cumprirem o horário e receberem ao final do mês. É que parecendo que não, isto influencia, e muito, a nossa média. 
Quanto à tua última frase, esta mudança, tal como tu referiste, acabou por te trazer novas amizades, um novo ambiente. Não foi necessariamente uma má decisão e este é só o primeiro período. Como tu mesma me disseste, ainda há mais dois para melhorar :)


R: Muito, muito obrigada! Eu entendo o que queres dizer, sinto isso ao ler alguns blogs, incluindo o teu. Acho que a proximidade de idades faz com que estejamos a viver coisas parecidas e acabamos por nos identificar uma com a outra. 
Medo da universidade? Eu não tenho! Eu estou desejosa aliás, não vejo a hora ahah Já estou um pouco farta das mesmas pessoas, o mesmo ambiente.
O F. andou na minha escola nos dois primeiros anos do secundário dele, quando eu estava no 8º e 9º ano. Conhecíamos de vista daí. Ele faz anos perto de mim e eu dei-lhe os parabéns pelo facebook, como aliás, faço todos os anos, pelo que não foi nada de mais. Depois vi-o numa festa que há todos os anos cá na zona. A partir daí entrámos num joguinho de gostos em fotos, seja no fb ou no instagram (não somos nada parvos). Até que no meu dia de anos, ele me dá os parabéns pelo chat (não tinha sido a primeira vez, na altura em que ele andou lá na escola também deu), mas eu era parva e respondia só "obrigada", então a conversa morria aí. E pronto, foi assim que começámos a falar. Não foi nada de especial.


Um beijinho, já tinha saudades de passar aqui!***

De Cris a 16.12.2015 às 14:39

Realmente são um bocadinho estranhas essas perguntas... Virão tempos melhores...
Acho que não vai ser o Natal a solucionar o que se passa. É mesmo a força de vontade que pode voltar a dar a volta à situação... Temos de encarar a realidade. 
Quanto à tua situação, verás que também tudo se irá solucionar. Temos de dar tempo ao tempo. Força!
Beijinhos* 

De Joana Freitas a 16.12.2015 às 19:59

Fico triste por teres apanhado com professores malucos e, à custa disso, achares que o ensino público é random. Desde sempre andei no ensino público e não podia ter tido melhor sorte com os professores!

De V. a 17.12.2015 às 17:52

Obrigada, uma vez mais! :)

Comentar post


Pág. 1/2




Links

Blog de moda

Social Media


Bloglovin

Follow

Pesquisar

Pesquisar no Blog